sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

..Confissões de amor que morrem na garganta...



Não é fácil. Gostaria que tu soubesses o quanto está sendo dificil para mim guardar isso. Perco a coragem quando finalmente crio coragem pra falar, isso se vai com tanta facilidade. Quem vê, diz que isso é idiotisse. E quem sente ?
.
 Olhar-te e perder a voz. Não sei porque tal medo. Talvez seja por causa do passado, que travou-me. Talvez seja por sua causa. Eu não vou ficar procurando motivos por não falar. Veja tamanha covardia, em vez de dizer-te, escrevo aqui neste simples blog. Estou prendendo-me neste sentimento, estou afundando meu coração no escuro, sangrando invisivelmente. Tentei evitar tal sentimento, pedindo sempre a Deus discernimento, mas, o caminho é esse e já venho caminhando-o a tempos. Não é aquela paixão de faltar o folêgo, sentir ciúmes exageradamente etc. Eu me proíbo a ficar assim. Nada demais, é só preservação. Você age em mim de forma serena, como a música, como o som do meu violão, como o vento.

Encerro aqui com a célebre frase: "Já matei você mil vezes e seu amor ainda me vem, então me diga quantas vidas você tem? . " (8)

2 comentários:

  1. Tão singelo, frágil e verdadeiro.
    Obrigada pela visita, sim? (:

    ResponderExcluir
  2. amei esse texto o meu favorito te adoro mana =D

    ResponderExcluir